Embalagem de vidro e software livre

Isto é uma ratoeira. Pois é, um dia foi uma embalagem de vidro de alguma bebida – originalmente – mas depois que sua função princicpal deixou de existir, ela foi adaptada a uma nova função – neste caso virou uma ratoeira (os ratos devem passar pelo buraco e ficar presos lá dentro?).

É uma invenção que transforma uma embalagem padrão em algo totalmente novo e com uso diferente. No passado, isso acontecia muito com garrafas de vidro. Era quase como se a garrafa de vidro fosse uma parte standart, uma peça universal com a qual os inventores poderiam contar para fazer suas criações. Nas imagens ao lado você pode ver armadilhas para pegar pequenos peixes (os peixinhos devem entrar pelo buraco e depois não conseguem sair?).

Neste caso, pode-se comparar a embalagem de vidro aos computadores e seus softwares. Com o “aplicativo” certo, a garrafa poderia se tornar o objeto que se desejasse. O Randy Ludacer, do site BoxVox compara a garrafa de vidro antiga ao software livre: “Freeware for imprisoning mice”. Interessante, não?

Fonte: BoxVox

Sobre

2 comentários

  1. |

    Não achei boa essa comparação entre a garrafa e o software livre. Se o movimento de “Garrafa Livre” existisse, ele distribuiria manuais de como fazer e modificar sua própria garrafa, livrando as pessoas da dependência da fábricas de garrafa.

    Aliás, uma coisa interessante é que o artigo que serviu de fonte usa imagens de patentes para mostrar as invenções feitas usando as garrafas. Patentes e software livre são coisas absolutamente contrárias.

  2. |

    Eh verdade…
    Pois bem, a comparação com software livre talvez tenha sido exagerada.
    Realmente, não havia o objetivo de se aprender a fazer garrafas para se livrar das fábricas. A questão era que, há muitos anos, cada um poderia pegar uma garrafa – que não era sua – e utilizá-la para criar um novo objeto.
    Neste sentido era uma garrafa livre.
    Obrigada pelo comentário.

Deixe um comentário

Erro! Este email é inválido.